Nas eleições municipais no Brasil, o meio ambiente está na pauta?

Por Carine Massierer*

Fonte: Captura de tela do site da Câmara dos Deputados

A Amazônia, e o meio ambiente como um todo, esteve em pauta na eleição dos EUA e o presidente eleito, Joe Biden, prometeu dedicar atenção à preservação da floresta que extrapola as divisas brasileiras. E no Brasil, em meio a pandemia e disputas não menos acirradas de candidatos à prefeituras e às câmaras de vereadores, existem políticos preocupados com mudanças climáticas e a preservação ambiental?

Segundo texto jornalístico produzido pela assessoria da Câmara dos Deputados, de 10 de novembro, desmatamentos, devastação de biomas, secas e inundações alternadas, poluição atmosférica, crimes socioambientais, aquecimento global e mudanças climáticas são problemas atuais que dão prioridade à temática na agenda política dos municípios de todo o país. No entanto, na grande imprensa as pautas ambientais não tiveram destaque e nos estados e municípios poucos veículos exploraram a temática de maneira expressiva na publicação de intenções dos candidatos.

Isto que neste ano a Frente Parlamentar Ambientalista da Câmara dos Deputados criou uma plataforma municipal que contempla princípios e ferramentas que a gestão local deve adotar para priorizar políticas públicas fundamentais. Lançada em setembro, a plataforma também explica o papel que os cidadãos/eleitores podem/devem desempenhar nas eleições municipais e sugere pontos que servem para avaliar os candidatos em relação ao meio ambiente.

No dia 11 de novembro, a Frente Parlamentar promoveu um debate para reforçar as ações e propostas da plataforma. Mas, novamente a plataforma e a temática ambiental não reverberaram na mídia nacional. A agência Money Times foi umas poucas que publicou matéria sobre o tema , no dia 14/11/20, destacando a importância da agenda ambiental para os gestores nas eleições municipais e ressaltando que a plataforma também quer estimular os cidadãos a escolherem candidatos comprometidos com o meio ambiente.

Assim como a Plataforma Ambiental Municipal, a ferramenta criada pela Agência Pública para consulta dos nomes dos candidatos com multas ambientais em todo o país, disponível aqui, também teve pouca expressão na mídia comercial. Esta iniciativa foi apresentada em uma ampla reportagem da Agência, veiculada em 11/11/20, que trouxe um levantamento que revela que 152 candidatos a prefeito, 71 a vice e 529 a vereador acumulam 1.017 multas ambientais por infrações como desmatamento, comércio ilegal de madeira ou por provocarem queimadas em áreas protegidas. Os valores dessas multas, somados, ultrapassam R$ 175 milhões.

Fonte: Captura de tela da Agência Pública

Com iniciativas políticas como a da Frente Parlamentar Ambientalista e da Agência Pública nós tivemos a oportunidade, neste pleito de 2020, de testar novas ferramentas e estar a par não só do discurso, mas também do compromisso dos políticos com o meio ambiente. O que falta ainda é a imprensa dar mais repercussão a estas propostas e não ser uma mera copiadora de conteúdos de agências.

*Carine Massierer é jornalista, mestre em Comunicação e Informação pela UFRGS e integrante do Grupo de Pesquisa Jornalismo Ambiental (CNPq/UFRGS).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s