Chamada de artigos II ENPJA

enpja-proSubmissões encerradas em 30.06. Aguarde novas informações.

II Encontro Nacional de Pesquisadores em Jornalismo Ambiental
V Congresso Brasileiro de Jornalismo Ambiental – CBJA
Rede Brasileira de Jornalismo Ambiental – RBJA

Chamada de artigos / Call for papers

A Comissão Científica do Encontro Nacional de Pesquisadores em Jornalismo Ambiental (ENPJA) torna pública a chamada de trabalhos para a segunda edição do evento, a ser realizada de 16 a 19 de outubro de 2013, em Brasília – DF. O evento é parte da programação do V Congresso Brasileiro de Jornalismo Ambiental (CBJA) e acolhe textos de pesquisadores brasileiros e estrangeiros que abordem temáticas concernentes aos eixos centrais do ENPJA e se encaixem em uma das três categorias de trabalho, conforme definido pelo presente edital.

1. Escopo, objetivos e ementa – Duas décadas depois da Eco-92, o tema do desenvolvimento sustentável segue em pauta na imprensa, na mídia e na política, tendo agregado novas pesquisas, descobertas, temas e desafios. Apesar disso, a necessidade de melhor orientar as interações entre a natureza e a sociedade em direção a um futuro mais sustentável é cada vez mais urgente. A Conferência do Rio do ano passado definiu como compromisso elaborar Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) para enfrentar este desafio. A comunicação, e especialmente o jornalismo, têm um papel relevante a desempenhar, na medida em que contribuem para a popularização do debate, bem como para a formação da opinião pública acerca das importantes decisões que precisam ser tomadas coletivamente.

Assim, o objetivo deste II ENPJA é realizar um balanço das pesquisas do Jornalismo e da Comunicação, bem como da cobertura da imprensa brasileira sobre este tema, e discutir o papel que o Jornalismo e a Comunicação desempenham na transição para um mundo mais sustentável. Convidamos os pesquisadores a enviar submissões que analisem todos os aspectos de comunicação relacionados à sustentabilidade, com particular interesse em estudos de Jornalismo, Educomunicação e Comunicação Socioambiental. Encorajamos contribuições de grupos de pesquisa, doutorandos, mestrandos e jovens pesquisadores. Artigos oriundos de pesquisas e reflexões fora do escopo desta chamada serão aceitos, desde que tratem de objetos relacionados a temas socioambientais e suas relações com o Jornalismo e a Comunicação.

2. Categorias para apresentação de trabalhos – Os interessados em apresentar trabalho no II ENPJA devem submetê-lo a uma das seguintes categorias:

2.1. Comunicações Livres – Acolherá textos propostos por doutores, doutorandos, mestres ou mestrandos.

2.2. Iniciação Científica – Reservada para trabalhos de graduados e graduandos, bolsistas de iniciação científica ou extensão. Em caso de trabalhos de graduandos é obrigatória a assinatura conjunta do orientador como segundo autor. A co-autoria do professor-orientador não inviabiliza sua participação como primeiro autor de proposta na sessão de Comunicações Livres.

2.3. Relatos de Práticas e Experiências – Sessão destinada a textos que reflitam sobre práticas, projetos ou ações em jornalismo ambiental ou comunicação ambiental, submetidos por profissionais da área não ligados a programas de pós-graduação e grupos de pesquisa.

Serão aceitos trabalhos com até três autores, exceto no caso de Grupos ou Projetos de Pesquisa devidamente registrados e identificados em nota de rodapé no texto. Cada autor somente poderá submeter um texto, com a ressalva para os casos de orientadores dos trabalhos de Iniciação Científica, conforme explicitado no item 2.2.

3. Submissão dos textos completos – Os trabalhos serão recebidos de 20 de abril a 10 de junho 30 de junho. Serão aceitos trabalhos em português e espanhol. Os interessados devem usar o template do evento, disponível aqui, seguindo obrigatoriamente as regras de formatação nele contidas. Os trabalhos devem ser enviados já revisados e no prazo estabelecido ao endereço enpja@jornalismoemeioambiente.com. Trabalhos que não utilizem o template e fora da formatação solicitada não serão avaliados.

4. Avaliação, seleção e publicação dos resultados – O processo de avaliação será gerenciado pela coordenação da Comissão Científica. Os trabalhos que estiverem adequados às regras estabelecidas serão avaliados em seu mérito científico no sistema double blind peer review, ou seja, por dois membros da Comissão e sem a identificação dos autores. Caberá ao coordenador do processo fazer a criteriosa distribuição dos trabalhos submetidos evitando conflitos de interesse (relações de orientação e de pesquisa). Serão consideradas aprovadas nas categorias Comunicações Livres e Relatos de Práticas e Experiências somente as comunicações que receberem dois pareceres favoráveis.

À critério da Comissão, trabalhos submetidos à categoria Iniciação Científica poderão receber sugestões de alterações, ficando seu aceite final condicionado aos ajustes e devolução no prazo estabelecido. Nesse caso, a não devolução do texto em segunda versão resultará em descredenciamento da listagem final de aceites. Não caberá recurso ao parecer da Comissão.

Casos de empate serão decididos por um terceiro parecerista indicado pela Comissão. O trabalho será avaliado sob os seguintes critérios: pertinência ao campo da pesquisa em comunicação e meio ambiente; relevância científica; explicitação do problema, objetivos e resultados; adequação da bibliografia trabalhada; qualidade da reflexão teórica e/ou empírica; explicitação e consistência da metodologia (quando pertinente); domínio da linguagem científica.

Serão selecionados até 48 trabalhos, tendo como diretriz os seguintes sub-totais: até 28 trabalhos para a categoria de Comunicações Livres; até 14 trabalhos para a categoria de Iniciação Científica; e até seis Relatos de Experiências.

6. Inscrição e publicação nos anais – Após a publicação da listagem definitiva de aceites, os autores dos trabalhos selecionados deverão efetuar sua inscrição no prazo estipulado, efetivando o pagamento da taxa de inscrição conforme as regras do V Congresso Brasileiro de Jornalismo Ambiental para garantir a publicação do texto nos Anais do evento. Na hipótese de aceitação do trabalho para apresentação no Congresso, automaticamente o(s) autor(s) estará(ão) outorgando à Rede Brasileira de Jornalismo Ambiental o direito de reprodução do texto nos Anais do V Congresso Brasileiro de Jornalismo Ambiental. Na hipótese de co-autoria, todos os autores que desejarem certificado, inclusive professores-orientadores, deverão efetuar sua inscrição no evento.

7. Síntese das datas (ano 2013)

Lançamento do edital: 02 de abril

Período de recebimento de trabalhos: 20 de abril a 10 de junho 30 de junho

Divulgação dos trabalhos aceitos:

a) Comunicações Livres (resultado final): 15 de julho
b) Relatos de práticas e experiências (resultado final): 15 de julho
c) Iniciação Científica – Fase 1: 15 de julho
– Período de ajustes para trabalhos aceitos com condicionantes (somente para Iniciação Científica): 15 de julho a 26 de julho
– Recebimento dos trabalhos após a revisão (somente para Iniciação Científica): 15 de julho a 26 de julho
– Divulgação final dos aceites para Iniciação Científica: até 05 de agosto

Inscrição para inclusão nos anais: 05 de agosto a 16 de setembro

Realização do II ENPJA: 16 a 19 de outubro.

7. Sobre a participação da Comissão Científica no ENPJA – Membros da Comissão Científica somente poderão submeter trabalhos em categorias nas quais não atuem como pareceristas. A coordenação, todavia, fica impedida de participar com artigos nesta edição.

8. Casos omissos – Os casos omissos serão decididos de forma colegiada pela Comissão Científica. Não caberá recurso ao julgamento da Comissão.

Brasília, 02 de abril de 2013.

Coordenação

Gisele Neuls (Anhanguera-Uniderp)
Mônica Prado (UniCeub)
Reges Schwaab (UFOP)

Comissão Científica

Ilza Girardi (UFRGS)
Fabrício Ângelo (FIOCRUZ-AM)
Gisele Neuls (Anhanguera-Uniderp)
Leonel Aguiar (PUC-Rio)
Mônica Prado (UniCeub)
Reges Schwaab (UFOP)
Wilson Bueno (Umesp)

NOVO: Orientações para elaboração de Relatos de Práticas e Experiências

*Atualizado em 03/06/2013.

CFP: 2º Encontro Interdisciplinar de Comunicação Ambiental (EICA) – até 7 de abril

O 2º Encontro Interdisciplinar de Comunicação Ambiental (EICA), a ser realizado na Universidade Federal de Sergipe (UFS), está recebendo propostas de trabalhos até 7 de abril (prazo ampliado). O evento, de 27 a 29 de maio de 2013, terá inscrições para participantes ouvintes até 24 de maio. O EICA é uma iniciativa do Laboratório Interdisciplinar de Comunicação Ambiental (LICA), em parceria com o Programa de Pós-graduação em Comunicação da UFS e apoio financeiro da Fapitec-SE – Fundação de Apoio à Pesquisa e à Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe. 

A programação do 2º EICA será iniciada com uma conferência sobre Natureza, “economia verde” e justiça ambiental: dilemas contemporâneos, a cargo do economista equatoriano Alberto Acosta, professor e pesquisador da FLACSO – Faculdad Latinoamericana de Ciencias Sociales e autor do livro Buen Vivir o Sumak Kausai. O Encontro terá também quatro mesas temáticas e duas sessões de comunicações orais.

Veja todos os detalhes sobre o 2º EICA.

(com informações do site do evento).

XVIII CICOM – Communicating Climate Change: from Global Agenda to Media Representation

Call for papers para a Conferência Internacional de Comunicação. Nesta edição o tema geral é “Comunicar a mudança climática”. Veja os detalhes:

XVIII CICOM International Conference of Communication, Pamplona, November 7th-8th 2013

Communicating Climate Change: from Global Agenda to Media Representation

School of Communication, University of Navarra

Climate change (CC) has become one of the main challenges that the global village is facing today. Scientists have reached a significant agreement about the origins and magnitude of this process, whose consequences are already evident in many points all over the planet. However, research shows that there is a deficit of media coverage and information on CC and that its quality and effectiveness is not always suitable.

Among the factors that influence this information deficiency, it should be pointed out, among others, the intense politicization that CC treatment has undergone and the complexity of communicating the sciences involved in its study. These processes are influenced by guidelines and values regularly used in the exercise of, which occasionally struggle with scientific rigor of information and may become a burden for message effectiveness.

The XXVIII International Conference of Communication CICOM which will take place in Pamplona, Spain, November 7 & 8, 2013, will focus on the different aspects regarding the interaction between journalism and communication on environmental issues in general, and more particularly, on climate change.

The thematic areas proposed are the following:

– Social representation of environment and CC

– Environment, CC and media

– Journalism guidelines and values on the treatment of environmental information

– Source treatment and approach to environmental information

– Information interest on environmental issues versus scientific rigor

– Images and icons of environment and CC

Paper proposals should be submitted no later than June 15th 2013 by email to the Conference’s address: cicom@unav.es.

Maximum length for the abstract will be 700 words including keywords. Accepted abstract will be contacted by July 15th 2013.

For further information about CICOM program and related events check up at: website: http://www.unav.edu/web/facultad-de-comunicacion/cicom-eng

You are kindly welcome to share this information with potentially interested colleagues and academic partners.

Dossiê Razón y Palabra: comunicação e desafios ambientais

A revista mexicana Razón y Palabra dedicou seu número 29 (maio/julho 2012) ao tema “Importância de la comunicación y sus interfaces con los desafios ambientales”, em dossiê coordenado por Elizabeth Oliveira. Clique aqui para ler a apresentação da edição e nos títulos a seguir para acessar cada artigo.

BASES DO JORNALISMO AMBIENTAL E OS DESAFIOS PARA A COBERTURA DA RIO+20
Ilza Maria Tourinho Girardi
Cláudia Herte de Moraes
Eloísa Beling Loose

LA OLA DE CALOR DE 2003 EN ESPAÑA, ENTRE LA REALIDAD BIOFÍSICA Y EL RECONOCIMIENTO MEDIÁTICO
Rogelio Fernández Reyes

MÍDIA, SOCIEDADE DE RISCOS E OS DESAFIOS DOS RESÍDUOS ELETROELETRÔNICOS NO BRASIL
Maria Daniela de Araújo Vianna

COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E SUSTENTABILIDADE: ESTUDO DE CASO DO RELATÓRIO 2010 DA BRITISH PETROLEUM
Luiz Antônio Gaulia
Leonel Azevedo de Aguiar

COMUNICAÇÃO E SUSTENTABILIDADE: APROXIMAÇÕES E RUPTURAS
Wilson da Costa Bueno

ANÁLISE DE DISCURSOS ESPECIALIZADOS EM MEIO AMBIENTE: COMO O JORNALISMO AMBIENTAL PODE CONTRIBUIR PARA UM NOVO OLHAR
Eloisa Beling Loose

LIFE EVENTS AS WINDOWS OF OPPORTUNITY FOR SUSTAINABLE CONSUMPTION AS ILLUSTRATED BY AN EXHIBITION AND A NUTRITION CAMPAIGN
Lisbeth Oliveira

O LUGAR DAS REVISTAS BRASILEIRAS NO DISCURSO SOBRE O VERDE
Reges Schwaab

O SILÊNCIO DOS AFOGADOS. O DESAPARECIMENTO DA POPULAÇÃO RIBEIRINHA NO NOTICIÁRIO SOBRE A CONSTRUÇÃO DA HIDRELÉTRICA DE GARABI
Carlos Dominguez

DA REDE À RUA: A REAÇÃO CONTRA O CÓDIGO FLORESTAL NAS REDES SOCIAIS E A COBERTURA DA MÍDIA
Ana Carollina Campos Leitão

A IMPORTÂNCIA DO JORNALISMO DE QUALIDADE NA REDUÇÃO DE RISCOS E DESASTRES
Juliana Frandalozo Alves dos Santos

EM NOME DO BEM COMUM: A COMUNICAÇÃO COMO MEIO PARA AMPLIAR E VALORIZAR AÇÕES DE CONSCIENTIZAÇÃO SOCIOAMBIENTAL
Antonio Carlos Teixeira

APRENDIZADO PARA A SUSTENTABILIDADE
Vilmar Sidnei Demamam Berna

Uma homenagem a Adrian Cowell

Assista ao especial do programa Cidades e Soluções, da Globo News, sobre o valioso trabalho do documentarista Adrian Cowell na Amazônia. Entre seus importantes trabalhos está “A década da destruição”, série sem precedentes abordando o abuso de uma nação na região amazônica. Um documento importante produzido por André Trigueiro e equipe. Assista aqui.

Comunicação Coordenada “Jornalismo e problemáticas socioambientais” na SBPJor 2011

A Comunicação Coordenada “Jornalismo e problemáticas socioambientais” integrará a programação do 9º Encontro da SBPJor, de 3 a 5 de novembro, no Rio de Janeiro. O grupo é formado por pesquisadores que integraram a Coordenada do ano passado e novos autores. Teremos seis trabalhos sendo debatidos na tarde de 4 de novembro. A ementa da Coordenada e a listagem de trabalhos vai a seguir. Os textos serão disponibilizados aqui após o evento.

Ementa: Junho de 2012 marca os 20 anos de realização da Conferência da ONU sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento, a Rio 92, período em que os dilemas ambientais ganharam maior visibilidade. Diferentes atores têm empreendido uma disputa pública por nomear a questão da forma mais adequada. A luta ecológica, surgida no clima de contracultura dos anos 1960 e 1970, capilariza-se em novas formas de ação social, quer na busca por legitimidade de movimentos “verdes”, grupos e populações tradicionais, quer na entrada do setor empresarial na temática. Diante dos interesses difusos estão os governos, e um esperado papel de negociação. Mesmo emergindo em diferentes campos, é no exercício da comunicação que as problemáticas socioambientais são atualizadas, por meio da produção de jornalistas, em espaços tradicionais, ou de múltiplos sujeitos, por meio de novas tecnologias da informação. E além de promover mediação, o jornalismo toma a complexa relação sociedade-natureza como objeto, para além da formulação de conteúdos informativos. O conjunto de trabalhos desta coordenada instala sua discussão nas controvérsias geradas pelo tema, pensando suas implicações nas práticas jornalísticas, nas narrativas e na reflexão acadêmica na área.

Palavras-chave: Jornalismo, meio ambiente, práticas jornalísticas, discurso, problemáticas socioambientais.

Trabalhos:

Análise dos estudos sobre jornalismo ambiental: primeiras incursões – Sonia Aguiar

Mudanças no olhar da imprensa pernambucana sobre Suape: do desenvolvimentista ao socioambiental – Isaltina Maria de Azevedo Melo Gomes; Débora Souza Britto; Eutalita Bezerra da Silva; Júlia Arraes de Alencar; Raíssa Ebrahim dos Santos

Discursos e vozes por trás das COP-15 e COP-16 – Ilza Maria Tourinho Girardi; Ângela Camana; Carine Massierer; Cláudia Moraes; Eloisa Beling Loose; Gisele Neuls; Laura Gertz

De outros Olhares? Representações do ambientalismo em imagens de sites indígenas da Amazônia – Isac de Souza Guimarães Júnior

O valor do verde no saber dizer de revistas da Abril – Reges Schwaab

Redefinições do jornalismo ambiental: abordagens teóricas e rotinas produtivas – Antônio Teixeira de Barros

Continue Lendo “Comunicação Coordenada “Jornalismo e problemáticas socioambientais” na SBPJor 2011″

Os testemunhos na cobertura das catástrofes ambientais

Texto de Márcia Franz Amaral (UFSM), apresentado no GT Estudos em Jornalismo, no 20º Encontro da Compós.

Resumo: O trabalho analisa as especificidades dos discursos dos testemunhos nos acontecimentos das catástrofes climáticas nas revistas semanais. A partir da noção do testemunho como um discurso sobre uma experiência singular, refletimos sobre o teor testemunhal presente nas matérias relacionadas à tragédia provocada pelos deslizamentos nos municípios serranos do Rio de Janeiro em janeiro de 2011.  Caracterizamos os testemunhos e os cotejamos com as manifestações das fontes do tipo expert. Mostramos como a experiência, aparentemente fonte do sentido, configura-se numa rede discursiva que constrói o acontecimento catastrófico.

Acesse aqui.