Novos formatos de negócios no jornalismo local: o que esperar da cobertura ambiental?

Por Débora Gallas Steigleder*

Foi lançado oficialmente neste mês de março o Grupo Matinal de Jornalismo, projeto que investe na produção de conteúdo para web enviado aos usuários cadastrados para recebimento de newsletters. O diferencial trazido pelo boletim Matinal, de acesso aberto, e por duas correspondências semanais disponíveis por planos de assinatura, é o foco no local: da cultura à política, são priorizadas notícias e reportagens sobre o Rio Grande do Sul e, mais especificamente, sobre a cidade de Porto Alegre. E o que podemos observar sobre a cobertura de meio ambiente?

Fonte: Captura de tela da edição de 06 de março de 2019 da revista Parêntese
Fonte: Captura de tela da edição de 06 de março de 2019 da revista Parêntese

A edição de número 15 da revista Parêntese, que é enviada aos sábados, abriu espaço para uma reportagem especial sobre os impactos da sojicultura no Rio Grande do Sul. Em Depois de enriquecer produtores gaúchos, soja ameaça o Pampa, a repórter Karen Viscardi expõe as origens do monocultivo e discute seu consequente entrelaçamento com a história da migração gaúcha para ampliação de fronteiras agrícolas pelo Brasil. Tal espaço dificilmente seria encontrado em veículos tradicionais, tanto por conta da limitação física e temporal imputada a produções impressas e audiovisuais, como pela dificuldade destas empresas realizarem autocrítica sobre o posicionamento ideológico construído ao longo de décadas, que apresenta a expansão dos grandes cultivos de soja enquanto evidência da postura aguerrida de gaúchos empreendedores – conforme já comentamos aqui no Observatório.


A transversalidade do olhar também está presente no discurso jornalístico em questão, que aborda as consequências do uso de agrotóxicos nas lavouras, da contaminação de indivíduos à mortandade de abelhas, além de mencionar o impacto da estiagem predominante no Rio Grande do Sul nestes meses de verão na economia do estado e dos produtores rurais. Em acréscimo, a reportagem discute como a sojicultura afeta a biodiversidade do campo nativo e faz minguar atividades produtivas predominantes na região por séculos, como a pecuária.


Apesar desta abordagem ampla sobre a questão, existem pontos a serem aprofundados em retornos futuros a este complexo tema. São diversas as fontes consultadas para a construção da reportagem, mas as vozes resumem-se majoritariamente a especialistas, autoridades e dirigentes de entidades. Seria de grande valia haver uma novidade no jornalismo local suficientemente sustentável em termos financeiros a ponto de viabilizar a ida de repórteres a campo para averiguar os impactos in loco, para além dos relatos de especialistas. Conversar com agricultores e comunidades que vivem o impasse deste modelo econômico baseado em commodities promove novas possibilidades à narrativa jornalística, podendo até mesmo confrontar o título da reportagem, que leva o leitor a interpretar os impactos da sojicultura como um problema recente, verificado apenas a partir do momento em os produtores deixam de lucrar com a safra.


Por fim, em tempos de discussão sobre as consequências locais das mudanças climáticas, faz-se cada vez mais necessário evidenciar que os eventos climáticos extremos tendem a agravar a estiagem já verificada com frequência na região Sul do estado. Urgem, portanto, discussões sobre mitigação e adaptação que considerem a impossibilidade de sobrevivência do Pampa soterrado por soja transgênica.

*Jornalista, doutoranda em Comunicação na Universidade Federal do Rio Grande do Sul com bolsa Capes. Integrante do Grupo de Pesquisa Jornalismo Ambiental (CNPq/UFRGS). E-mail: deborasteigleder@gmail.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s